Calado diz que a Europa tem feito muito mais pela Madeira do que a República

Susy Lobato

Foi numa conferência ocorrida esta manhã, na Escola Profissional Cristóvão Colombo, que o vice-presidente do Governo Regional enalteceu a importância que a Europa tem tido na vida dos madeirenses.

Foi perante uma plateia de jovens, que assinalam hoje o Dia da Europa, que Pedro Calado sublinhou que “aquilo que a República fez pela Madeira foi muito inferior àquilo que a Europa fez”, explicando que “os apoios que tivemos de fundos comunitários permitiu-nos desenvolver e posicionar a Madeira”. O governante elucidou os jovens, lembrando que há 30 anos a Madeira era das regiões mais pobres a nível europeu. “Não tínhamos água potável, não tínhamos esgotos, não tínhamos estradas, nem escolas, nem pavilhões. Era uma região muito, muito pobre”, referiu, enaltecendo, ainda assim, que “todo este caminho foi feito não só à conta dos apoios comunitários, mas também devido à visão estratégica que estes sucessivos governos na Madeira tiveram em termos de desenvolvimento regional e pela sua estabilidade política e social”.

Calado explicou que muitas das infraestruturas que temos contaram com um financiamento europeu de entre 75 a 85%, o que significa que o Governo Regional comparticipou o restante.

Resumindo, o vice-presidente transmitiu que “tudo aquilo que a UE nos trouxe veio melhorar a nossa qualidade de vida”, acrescentando que “a Madeira, no futuro, vai continuar a depender muito das ajudas europeias”.

Nesse sentido, Calado advertiu para a importância do voto, nomeadamente nas eleições europeias, marcadas para o próximo dia 26 de maio. “Este mês teremos eleições europeias e é importante que vocês, jovens, comecem a estar sensibilizados para a importância deste funcionamento e o que pode representar a UE na nossa vida”, concluiu.