PSD exalta o impacto dos passes sociais nos concelhos afastados do Funchal

O Grupo Parlamentar do PSD promoveu esta manhã uma iniciativa na Calheta para salientar que a medida tomada pelo Governo Regional para os passes sociais é um “passo determinante na política de mobilidade da Região e no incentivo à utilização dos transportes públicos".

Josefina Carreira frisou que é nos concelhos mais afastados do Funchal que se verificam maiores dificuldades de mobilidade e onde as reduções são mais significativas.

Recordou que um passe mensal normal da Calheta para o Funchal custava cerca de 130 euros, passando agora a custar 40 euros, e que um passe de estudante no mesmo percurso custava 120 euros, passando agora a custar 16 ou 30 euros, dependendo se o estudante beneficia, ou não, da ação social.

"Estamos a falar de uma redução de 70% no valor dos passes, ou seja, menos 90 euros por mês", disse, lembrando que "para as crianças até os 12 anos o passe é gratuito, seja dentro do concelho ou fora do concelho, e o mesmo acontece com as pessoas que tenham uma pensão com um valor até 240 euros".

Josefina Carreira salientou que “esta é uma prova de que o Governo Regional investe em todos os concelhos sem exceção e tem uma atenção especial com os concelhos mais afastados dos centros urbanos”. Na Calheta, exemplificou, o governo tem “investido muito” na mobilidade, através da recuperação de vias existentes, “seja através de novas das acessibilidades e agora também com esta medida muito importante que é a redução dos passes sociais”.