Festa da Flor mais completa e inclusiva

Susy Lobato

A Festa da Flor ficou, este ano, mais completa ao incluir o público menos jovem no evento.

Depois de, no fim-de-semana anterior, terem sido as crianças a depositar flores no Muro da Esperança, a exemplo do que tem acontecido nas edições anteriores, esta tarde foi a vez dos idosos o fazerem.

Dezenas de utentes, de várias instituições da Região, desceram até à baixa citadina e, numa tarde solarenga e carregada de animação, colocaram flores num muro instalado na Praça do Povo.

O Muro da Solidariedade, que é uma das novidades deste ano, surgiu através de uma colaboração entre a Secretaria Regional da Inclusão e dos Assuntos Sociais e a Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura e, dada a adesão verificada na tarde de hoje, a iniciativa deverá voltar a repetir-se nos próximos anos, conforme assegurou Eduardo Jesus.

«Esta é uma festa de todos e estaria incompleta se esta parte da população não participasse como este ano participou», sublinhou, acrescentando que este é o início de um novo ciclo que o Governo pretende que seja «continuado no tempo e reforçado na participação».

Rubina Leal realçou a necessidade de incluir toda a sociedade neste tipo de festividades, dizendo que aquilo que pretende, enquanto responsável pela pasta da área social, «é ter uma sociedade mais justa e mais coesa».

Amanhã, ainda no âmbito da Festa da Flor, decorre um desfile de automóveis clássicos na baixa do Funchal, a partir das 15:30 horas, sendo que, ao longo da próxima semana, decorrerão vários eventos, sobretudo de índole cultural.