600 anos: Comemorações englobam moeda comemorativa, selos e um festival náutico

A homenagem à história madeirense prossegue, este ano, com mais uma mão cheia de iniciativas ao abrigo do programa dos 600 Anos, apresentado, esta tarde, em Machico.

Paula Cabaço, secretária regional com a tutela do Turismo e Cultura, lembra a importância desta efeméride que visa, vinca, a promoção e afirmação da Região, enquanto destino de cultura, tradições e património, a valorização da riqueza e diversidade regional e a mobilização e participação dos madeirenses e porto-santenses, neste programa, particularmente das gerações mais novas.

Para este ano, a lista de atividades celebrativas volta a ser extensa e diversificada.

Encomendas artísticas, música e teatro:
Monumento do Escultor Amândio de Sousa, no Funchal;
Monumento do Escultor Luís Paixão, em Machico; Trabalho artístico de Rigo, na Quinta Magnólia;
Espetáculos de Teatro: “Contos e Lendas com e sem emendas”, a cargo da ATEF, que, na sua itinerância, inclui a passagem por Machico;
Peça de Teatro: “Madeira uma história de amor”, a cargo do MADS, no Funchal;
Peça de Teatro Infantil “Os Piratas na terra de Machim”, a cargo do TEC e cujo espetáculo decorrerá em Machico;
E o Te Deum (Pedro Camacho).

Produção de elementos alusivos:
Edição de selos – Madeira;
Placa identificativa dos 600 anos e a produção de medalhas;
Lançamento da moeda de 2€, comemorativa dos 600 Anos, num trabalho da autoria de Júlio Pomar que será também lançado, na Região, em Machico.

Palestras e congressos:

Congresso sobre a vida e obra de John dos Passos, que terá lugar na Ponta do Sol, associado à recuperação do Prémio Literário “John dos Passos”;
Projeto “Tardes com História”, um ciclo de palestras sobre a história da Região que decorrerá no CEHA – Alberto Vieira, aberto à comunidade.

Espetáculos, festivais e concertos:

Concerto da Orquestra Clássica da Madeira, em Machico;
Projeto “Madeira a Cantar”, que depois de percorrer todos os concelhos terá a sua grande final no Funchal;
Espetáculo “Saudades do Max” – que depois da sua estreia, em 2018, no Funchal, chega este ano à Calheta e ao Porto Santo;
Espetáculo “600 Anos / 600 músicos”, que terá lugar no Estádio dos Barreiros e que envolverá, para além de todas as Bandas Filarmónicas da Região, a Banda da Zona Militar da Madeira e as Orquestras de Sopros do Conservatório, num concerto sob a direção artística de Jorge Salgueiro;
Espetáculo de multimédia na baía de Machico;

Ciclo de Música Barroca “Música a Norte”, que decorre neste mês de março envolvendo os concelhos de Santana, São Vicente e Porto Moniz;

Festival de Órgão da Madeira, dedicado, precisamente, à temática dos 6 Séculos de Música e envolvendo, conforme habitual, vários concelhos da Região;

Projeto Madeira - Hawai, do Machete ao Ukelele - 140 anos, que inclui um espetáculo a decorrer no Funchal, numa organização do Grupo Xarabanda;

Espetáculo de homenagem a John dos Passos, que será levado a cabo, na Ponta do Sol.

Exposições:

Exposição de Fotografia com a temática “Memórias”, recentemente inaugurada na Calheta, que incluirá, ainda este ano, os concelhos de Machico, Camara de lobos e São Vicente;

Exposição dedicada à vida e obra de Herberto Hélder;

Exposição dedicada a Max;

Exposição de Artes Plásticas com a temática “Revoltas e Motins na História da Madeira e Porto Santo”, de Margarida Jardim;

Exposição itinerante “Os Herdeiros dos Capitães do Donatário”, da Associação Mercado Quinhentista, que brevemente chegará ao concelho da Calheta;

Exposição de Artes Plásticas que, inspirada na temática “A Viagem”, estará patente ao público na Quinta Magnólia e envolve 20 artistas plásticos da Região.

Indústria cultural e outras iniciativas:

“Moda Madeira”;
“Madeira Film &Wine Harvest” ;
“Rota do Ouro Branco”, roteiro turístico que integra elementos do património natural e do património edificado, assim como iniciativas de animação turística;
“A Volta à Madeira em Carros Clássicos”, numa organização do Clube Sport Madeira.

Projetos lúdico-educativos:
Projeto “Madeira Somos Nós”, um projeto de sensibilização para o turismo, dirigido aos alunos do 9º ano, com vista a promover o maior conhecimento e a maior valorização da realidade turística dos seus concelhos;
Realização do “Festival Náutico 600 Anos”;
Segunda edição do Torneio de Golfe Cristóvão Colombo, no Porto Santo.

Editorial:
As 3 Obras do CEHA – “Para (um)a História do Porto Santo”, “Das Ilhas, a primeira” e “Tens saudades minhas?”;
A obra “Festas e Romarias”, do MEM;

A Biografia artística de Maximiano de Sousa;

E o Projeto fotográfico do ilustre fotógrafo desta terra, Manuel Nicolau.

RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO EDIFICADO

Do Núcleo Histórico de Santo Amaro;

Do Museu de Fotografia da Madeira – “Atelier Vicentes”;

Da primeira fase do Museu de Arqueologia;

Da Sala do Tesouro da Igreja Matriz de Machico;

E da requalificação do Solar de São Cristóvão, em Machico, que passará a estar visitável pelo público;

Início às obras do Convento de Santa Clara e dos Tetos Mudéjares da Sé Catedral do Funchal.