Serviço de Psicologia e Orientação da Escola do Campanário ganha prémio nacional

O psicólogo Renato Carvalho, com o projeto “Intervenção com adolescentes numa escola rural da Madeira: o Programa de Educação para a Carreira”, desenvolvido na Escola Básica do 2º e 3º ciclos Cónego João Jacinto Gonçalves Andrade (Campanário), ganhou o 1º Prémio Nacional por “Boas Práticas em Orientação”.

O prémio, atribuído pela Euroguidance Portugal / Direção Geral de Educação, distingue projetos e práticas a nível da orientação, promovidas por entidades dos setores da educação e formação, do mercado de trabalho, da inclusão social e dos centros de investigação, e apresentados pelas referidas entidades, bem como pelos seus técnicos de forma individual.

O prémio pretende promover o reconhecimento da importância da orientação, distinguir a qualidade das intervenções de orientação, premiando projetos com impacto social relevante e que contribuam para a concretização das metas nacionais no âmbito da educação, da inclusão social e do emprego.

Além do 1º lugar, foram atribuídas menções honrosas a projetos oriundos de diversas regiões do país, incluindo o Agrupamento de Escolas da Madalena, a Universidade Católica do Porto, a Universidade Católica de Lisboa, o Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches (Braga) e o Serviço de Emprego de Évora.

A escola do Campanário foi premiada pela realização do Programa de Educação para Carreira, que é levado a cabo pelo psicólogo Renato Carvalho, responsável pelo Serviço de Psicologia e Orientação daquela instituição.

Este programa é aplicado há mais de 10 anos, tendo participado perto de 2000 alunos.

O programa corresponde a uma intervenção multimodal com adolescentes e que prevê uma ação em vários momentos da escolaridade.

Assumindo uma perspetiva desenvolvimentista, o principal objetivo é a promoção da maturidade vocacional dos participantes, de forma a que giram de forma adaptativa a transição para o ensino secundário ou profissional.

A intervenção foca-se no 9º ano, através de sessões em contexto de turma e de sessões de aconselhamento vocacional individual ou em pequeno grupo.

Inclui ainda uma interface com parceiros na comunidade, traduzidas da dinamização de sessões de informação de carreira.

A intervenção tem recolhido indicadores de eficácia, como expresso em comunicações e publicações profissionais e científicas. Mas porque uma transição escolar é o resultado de uma trajetória ampla e as temáticas vocacionais não devem ser somente exploradas em momentos de tomada de decisão, o programa inclui ainda a realização de sessões com grupos de alunos do 7º e do 8º anos.

De forma a promover uma maior dinâmica e a participação de agentes educativos, realizaram-se também sessões de formação para professores sobre o seu papel no desenvolvimento vocacional dos alunos, bem como com pais/encarregados de educação, sobre o seu papel no desenvolvimento de carreira dos seus educandos.

Em suma, o programa corresponde à aplicação, num contexto institucional e sociocultural específico, de uma estratégia integrada de orientação e promoção do desenvolvimento de carreira dos jovens, a qual, pela sua eficácia, passou a ser incorporada no projeto educativo da escola.

Os factores de inovação assinalados foram o facto de esta intervenção ter as seguintes características: Envolve a comunidade educativa, com a participação de professores, pais e outros parceiros, estando assumida no projecto educativo da escola; É sustentada teoricamente e multimodal, com diversas estratégias e não estando centrada numa lógica psicométrica restrita de tradução de resultados de inventários em "decisões"; Inclui uma ação ao longo do percurso escolar e não apenas circunscrita a um momento de transição; Promove a formação contínua de agentes educativos.