Liliana Rodrigues quer submeter ‘IncluEuropa’ a fundos europeus para garantir continuidade

Sofia Lacerda

Liliana Rodrigues pretende submeter o projeto educativo ‘IncluEuropa’ a fundos europeus, como forma de garantir a continuidade de uma iniciativa que foi concebida pelo seu Gabinete, enquanto eurodeputada, em parceria com a Secretaria Regional de Educação.

A parlamentar eleita pelo PS, em 2014, não vai continuar em Bruxelas, sendo substituída por Sara Cerdas, uma situação que não compromete o futuro da iniciativa, afiançou ao JM e à RTP, esta tarde, na sessão de encerramento da 3.ª edição do ‘IncluEuropa’.

“Há muitas formas de repensar o projeto. O que é mais importante é garantirmos a formação dos nossos estudantes e a mim apraz-me saber que qualquer um deles está mais do que preparado para discutir e defender esta União Europeia”, congratulou-se.

Assim, revelou que a sua intenção “é submeter o projeto ao Conselho Científico do Centro de Investigação em Educação da Universidade da Madeira e depois logo vemos”, já que Liliana Rodrigues é investigadora e professora na UMa.

De igual forma, quando questionado sobre se a continuidade do projeto ficará comprometida com a saída da eurodeputada, o secretário regional da Educação afastou essa possibilidade.

“O projeto já cimentou as suas raízes e tem condições para continuar, independentemente das pessoas ou das instituições que o implementam neste momento”, assegurou.

Jorge Carvalho defendeu a importância desta iniciativa, que se veio “a provar extremamente positiva” e que passa por “divulgarmos junto dos nossos alunos a Europa”.

“Nesta parceria que foi estabelecida com o Gabinete da Eurodeputada Liliana Rodrigues, nós entendemos que poderíamos dinamizar e aproveitar aquela que já era a dinâmica dos nossos Clubes Europeus nas escolas, para incentivar e aprofundar este conhecimento sobre a Europa”, mencionou.

Mais lembrou que “o tema que hoje está subjacente aos trabalhos que estão a ser apresentados é precisamente 'Que futuro para a Europa?'. E o futuro da Europa são os nossos jovens, é um legado que as gerações que a construíram deixam a estes jovens e eles têm a responsabilidade de procurar manter estes valores, como a liberdade, a paz, a solidariedade e a multiculturalidade”, sustentou.

Refira-se que nesta cerimónia de encerramento, que decorreu no auditório da reitoria da Universidade da Madeira, no Colégio dos Jesuítas, foram apresentadas as curtas-metragens a concurso, de 11 instituições escolares.