8ª Cimeira Europeia das Regiões e Municípios termina com a adoção da Declaração de Bucareste

A cimeira 'Renovar a Europa', coorganizada pelo Comité das Regiões e pela Presidência Romena do Conselho da UE, decorreu ao longo dos dias 14 e 15 de março e culminou na adoção da Declaração de Bucareste aprovada na sessão final desta cimeira.

Nos dois dias da cimeira tiveram lugar vários debates temáticos sobre a construção de um futuro sustentável nas regiões e nos municípios da União, a coesão social e territorial, a fim de aproximar os cidadãos e as expectativas dos jovens dirigentes locais e regionais em relação à União Europeia (EU).

A encerrar o primeiro dia de trabalhos, o negociador da União Europeia para o Brexit, Michel Barnier, fez uma intervenção detalhada sobre o processo de saída do Reino Unido da EU, das suas dificuldades, dos avanços e recuos e da atual situação de impasse em que as negociações se encontram.

O presidente da Assembleia, no âmbito de entrevistas cedidas à Antena 1, à Lusa e à RTP 3, referiu à importância das regiões e das cidades no processo de construção europeia e da ajuda comunitária no desenvolvimento da Região Autónoma da Madeira, bem como à necessidade de se continuar com a política de coesão e aprofundar ainda mais o princípio de subsidiariedade que constitui um pilar fundamental da arquitetura institucional europeia. Fez igualmente um depoimento para ser emitido nas redes sociais do Comité das Regiões.

No encerramento da Cimeira, que contou a presença do Presidente da República Romena, Klaus Iohannis, foi adotada a Declaração de Bucareste que constitui um apelo aos chefes de Estado e de Governo que vão reunir-se em Sibiu, na Roménia, a 9 de maio, para discutir precisamente o futuro da União.

A Declaração apresenta a visão das regiões e das cidades sobre o futuro da União Europeia, assente na afirmação da necessidade de reforçar a democracia, a proximidade entre quem elege e quem é eleito e a solidariedade na União Europeia (UE).