Milhares de crianças "ergueram" o Muro da Esperança no Funchal

Iolanda Chaves

Milhares de crianças colocaram flores, esta manhã, no Muro da Esperança, uma cerimónia carregada de simbolismo, que se realiza há mais de três décadas no Funchal, por ocasião da Festa da Flor.

A chuva ameaçou, mas não o suficiente para miúdos e graúdos arredarem pé do Largo do Colégio, onde o muro foi sendo composto, à medida que foram chegando as crianças, num cortejo iniciado na Avenida Arriaga.

A festa das crianças aconteceu ao longo de toda a manhã. A habitual largada de pombos ao som do "Hino da Alegria", de Beethoven, outro dos momentos emotivos e simbólicos desta iniciativa, marcou o arranque do espetáculo infantil, dinamizado pela Associação Regional de Educação Artística.

Para além da presença espontânea de alguns pais que levaram os filhos até ao muro, o cortejo foi composto por crianças, pais, professores e educadores de infância do Externato São João; Colégio do Marítimo; Infantário Quinta dos Traquinas; Jardim Escola João de Deus; Infantário da Quinta; Madeira Multilingual School ; Infante D. Henrique; Refúgio do Bebé e Fundação Santa Luísa Marillac. O Grupo Infantil e Juvenil do Grupo Folclórico da Camacha também marcou presença e com ele a tradição foi vincada

Após a colocação das flores, dois pequenos apresentadores tiveram a missão de conduzir o espetáculo que se seguiu e falaram do simbolismo do Muro da Esperança que, segundo disseram, procura «associar a pureza das crianças à beleza das flores».

Perante milhares de turistas estrangeiros que por estes dias se passeiam pela ilha, especialmente pelo Funchal, uma das crianças falou em inglês. O mesmo fez o secretário regional da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, que teve uma palavra de agradecimento aos pais e às escolas que acompanharam as crianças.

Eduardo Jesus disse que é intenção do Governo Regional fazer perdurar a «combinação entre as crianças e as flores» como símbolo da felicidade e da paz que se vive na Madeira.

O governante lançou o convite para o Cortejo Alegórico da Flor, que se realiza amanhã, a partir das 16h00, com partida da Praça da Autonomia (junto à Casa da Luz) e terminus na Rotunda Harvey Foster, perto do Porto do Funchal.

Falando aos jornalista, Eduardo Jesus disse que está atento às condições meteorológicas e que em caso de agravamento da chuva poderá ser considerada a hipótese de adiamento. Para já, as previsões são de tempo estável.