Região promove-se como destino ‘Gay Friendly’

Cláudia Ornelas

A LGBT (Lesbian, Gay, Bisexual and Transgender) é uma comunidade que representa, anualmente, 16 milhões de euros em todo o mundo. Tendo isso em conta, o Governo Regional está a tomar medidas para atrair turismo ‘gay friendly’ à Madeira.

A celebração de um protocolo com a IGLTA (International Gay & Lesbian Travel Association), associação que possui mais de quatro mil contactos de negócio de turismo em mais de 75 países, é uma dessas medidas. O objetivo, explicado pelo vice-presidente do Executivo, Pedro Calado, ao JM, é “dar maior visibilidade e notoriedade da Região”.

A ação vai ao encontro da intenção do Governo Regional de “captar novos mercados turísticos para a Madeira e para o Porto Santo”, sublinhou o governante.

O vice-presidente ressaltou a notoriedade da IGLTA, que representa diversos hotéis, agentes de viagens, operadores de turismo e é seguida pela imprensa que tem foco nesta comunidade, como um grande potencial deste protocolo, que será mediado pela Invest Madeira.

Pedro Calado estima, com base em estatísticas divulgadas no ano passado, que o segmento LGBT represente mais de 10% do volume de turistas e movimente mais de 16 milhões de euros em todo o mundo. “Trata-se de um mercado emergente, que tem crescido muito nos últimos anos e ao qual a Madeira também não podia ficar indiferente”, frisou.

Criação do centro comunitário LGBTI

Mas as novidades não ficam por aqui. O Governo Regional quer ver um centro comunitário LGBTI na ilha da Madeira, a operar 24 horas diárias e a contemplar variadas valências. De forma a concretizar esse objetivo, o Executivo vai celebrar um outro protocolo com duas associações, que têm cerca de 900 associados em Portugal: a ‘Opus Gay’ e a ‘Ex-Aequo’.

A promoção de ações de divulgação, debates e formação educativa são tarefas previstas neste acordo e que visam fomentar uma cultura de tolerância relativamente à orientação sexual de cada um.

Portugal que ser palco do EuroPride 2022

Visitará a Região, a propósito dos referidos protocolos que serão assinados na Vice-Presidência do Governo Regional, o diretor executivo da instituição ‘Variações – ACT-LGBT’.

A entidade está a efetuar a candidatura de Portugal ao EuroPride 2022, um evento que costuma atrair entre 500 mil e um milhão de pessoas em todo o mundo ao país que o acolhe.

Porto e Lisboa, duas cidades portuguesas que oferecem comércio e turismo dedicado à comunidade LGBT, estão incluídas nesta candidatura e a Madeira poderá vir a ser contemplada, sublinha o Governo Regional.

O EuroPride é organizado pela Associação Européia do Orgulho Gay e este ano decorrerá na capital da Áustria, Viena, no mês de junho.