PTP chama Calado ao Parlamento para explicar “reforço do Grupo Sousa”

Patrícia Gaspar

O Partido Trabalhista Português (PTP) vai solicitar a presença do vice-presidente do Governo Regional no Parlamento da Madeira, Pedro Calado, no decorrer da próxima semana.

Em cima da mesa, está um pedido de esclarecimentos sobre uma alegada operação de privatização do serviço da amarração de navios no Caniçal, um assunto que motivou, esta manhã, uma ação política, no Funchal.

Quintino Costa, líder regional dos trabalhistas, acusa o Executivo de Miguel Albuquerque de ter faltado à verdade quando prometeu aos madeirenses acabar com o monopólio nos portos da Região e proceder à reestruturação do modelo portuário.

“Miguel Albuquerque fez disso uma bandeira eleitoral, mas mentiu aos madeirenses porque não só acabou com o monopólio do Grupo Sousa como o reforçou, agravando o bloqueio à economia regional”, afirma o ‘trabalhista’.

De acordo com Quintino Costa, depois de retirar os serviços de manutenção dos contentores de frio à APRAM, o Governo prepara-se para “entregar o serviço de amarração dos navios no Porto do Caniçal à empresa privada OPM - Operador portuário da Madeira.

“O Governo do PSD está a esvaziar a empresa pública, retirando-lhe tudo o que dá lucro, e reforçando o monopólio do Grupo Sousa”, acusa Quintino Costa.