O serviço da amarração de navios no Caniçal vai ser privatizado? JPP exige esclarecimentos

Patrícia Gaspar

Vai o Governo Regional dar seguimento à operação de privatização do serviço da amarração de navios no Caniçal? A pergunta é do deputado da JPP, Rafael Nunes.

Vai o Governo Regional dar seguimento à operação de privatização do serviço da amarração de navios no Caniçal? A pergunta é do deputado da JPP, Rafael Nunes.

O tema esteve em debate, na manhã deste sábado, altura em que o parlamentar se deslocou ao Porto do Caniçal, onde exigiu esclarecimentos por parte do Executivo de Miguel Albuquerque, “em prol da transparência”, sobre a restruturação do modelo portuário que o PSD prometeu avançar.

A sustentar esta ação política estão suspeitas de que o Governo vá recuar na sua intenção. Indícios disso são, para Rafael Nunes, as recentes movimentações no Porto do Caniçal que têm levantado um conjunto de suspeitas. Entende o deputado do JPP que estas movimentações “devem ser cabalmente esclarecidas, quer pelo Governo, quer pela APRAM”.

Depois do recuo no concurso público internacional para a operação portuária, o Grupo Parlamentar do Juntos pelo Povo pretende um esclarecimento urgente se existe uma intenção do Governo de privatizar mais um serviço público prestado pela APRAM, o que, no entender do JPP, poderá causar uma perda de receitas desta entidade pública.

“A se confirmar esta intenção, a mesma vai contra o próprio modelo de regionalização da operação portuária que é defendido por este partido”, critica Rafael Nunes.

O JPP adianta que vai aguardar até à próxima semana para que o Governo se pronuncie sobre esta matéria. Findando este prazo, e na ausência dos devidos esclarecimentos, o partido promete acionar os meios legais para obtê-los de forma formal.