Há um cidadão funchalense com residência na Câmara Municipal do Funchal

David Spranger

Há um sem-abrigo no Funchal que tem a morada declarada como a autarquia da capital. A história foi partilhada pelo vice-presidente daa autarquia, Miguel Silva Gouveia.

Na dialética de uma das mesas dos estados gerais do PS-Madeira, que vão decorrendo ao longo deste sábado, e no esmiuçar das responsabilidades dos políticos perante a população e na forma como os problemas têm de ser resolvidos, Miguel Silva Gouveia não resistiu a contra um pequeno, mas simbólico episódio, no seu entender, com a plateia.

Disse, então, que num determinado momento “tive conhecimento que um cidadão sem-abrigo havia recorrido à Loja do Munícipe porque havia perdido o cartão de cidadão e no local próprio para fazer outro, não o faziam porque não tinha residência. Claro que sendo sem-abrigo, não tinha residência. Mas o problema tinha de ser resolvido e a solução foi encontrada: demos a morada da Câmara Municipal do Funchal e fizeram-lhe um novo cartão de cidadão. Problema resolvido", concluiu entre muitos sorrisos, extensivos à plateia.

Ou seja, há um cidadão que vagueia pelas ruas do Funchal que terá como morada declarada os Paços do Concelho, edifício que, conforme graceja Miguel Silva Gouveia “está isento de pagamento de IMI, senão lhe iria chegar uma bonita conta”.