Funeral da mãe das gémeas foi adiado

A decisão terá apanhado de surpresa familiares e amigos que esperavam despedir-se hoje de Rita Fonseca.

Há, assim, mais um revés no caso da estranha morte da mulher que deu à luz a duas gémeas no dia 17 de dezembro e acabou por falecer domingo passado, dia 30, conforme noticiou o JM. Segundou soube hoje o Jornal, o funeral, que estaria marcado para esta tarde, foi cancelado e adiado para amanhã.
Aparentemente são formalidades legais que atrasaram o processo e voltam a incomodar familiares e amigos, alguns deles vieram de propósito do continente.
Recorde-se que a mãe que morreu este domingo residia em Câmara de Lobos. Era empresária e engenheira civil, tinha 37 anos de idade. Era filha de um empresário ligado à construção.
O caso, que foi divulgado domingo, segunda e terça-feira no JM, ganhou ao quinto dia novos desenvolvimentos. De acordo com o DN-M, a família de Rita Fonseca desconfia de negligência médica e já deu entrada de uma queixa no Ministério Público.
Durante todo este processo, o Serviço de Saúde da Madeira optou pelo silêncio. Porém, esta manhã, o secretário regional da Saúde foi confrontado, no Parlamento pela deputada Raquel Coelho e lamentou o sucedido pedindo aos partidos respeito pela família. Disse ainda que considera legítima a queixa e que o inquérito que decorre, como revelou o JM, irá apurar as razões da morte.