Até setembro morreram quatro bebés com menos de um ano na Madeira

Paula Abreu

Os dados preliminares da demografia de janeiro a setembro de 2018 mostram que na Região Autónoma da Madeira foram registados 1.443 nascimentos, mais 38 que no período homólogo, equivalendo a um acréscimo de 2,7%.

Por sua vez contabilizaram-se 2 114 óbitos, um aumento de 209 face ao mesmo período de 2017, correspondendo a um incremento de 11,0%. O que significa que o saldo natural se manteve negativo, apesar do número de nascimentos ter crescido.

A informação é disponibilizada pela Direção Regional de Estatísticas. A conjugação da evolução dos óbitos e nascimentos resultou num saldo natural negativo de 671 indivíduos, significando um agravamento deste indicador quando comparado com o mesmo período do ano anterior (-500 indivíduos).

Até ao final do trimestre em análise, tinham sido averbados 4 óbitos com menos de 1 ano e 4 fetos mortos.

Ainda neste período, registaram-se 707 casamentos nas Conservatórias do Registo Civil, menos 47 que no mesmo período do ano anterior, representando uma diminuição de 6,2%.