Pedro Calado apelas aos empresários para que deixem os seus impostos na Região

Iolanda Chaves

Pedro calado apelou esta tarde aos empresários para que deixem os seus impostos na Região e não noutros destinos, retribuindo assim as medidas de desagravamento fiscal que desde o ano passado têm sido implementadas pelo Governo Regional.

O vice-presidente, que discursava para uma plateia de empresários, sublinhou o facto da taxa de IRC, no regime simplificado, passar em 2019 dos atuais 16% para 13,6%, representando para a Região uma redução na receita superior a cinco milhões.

Somando a este valor, os dois milhões de euros de redução efetuado em 2018, Pedro Calado disse que o impacto do desagravamento fiscal para as empresas totaliza mais de sete milhões de euros.

No regime geral, adiantou, será adotada também uma redução de 1%, passando dos atuais 21% para 20%.

"Apelo para que tenham o cuidado de retribuir à Região, através dos impostos obrigatórios, o acolhimento que a mesma também lhes dá para o desenvolvmento da vossa atividade. Quero com isto dizer que, quando fizerem as vossas declarações de rendimentos, não se esqueçam de preencher o anexo C do modelo 22 para que possamos contar com o vosso contributo fiscal ao invés de o fazerem noutros destinos", disse.

Pedro Calado interveio na cerimónia da 29.ª edição das 500 Maiores Empresas da Madeira, evento do Diário de Notícias, onde Paulo Portas foi o orador convidado. O antigo governante (ex-ministro e ex-vice-primeiro-ministro no Governo de Passos Coelho), antigo presidente do CDS-PP, jurista e comentador político, fez uma intervenção sobre "geoeconomia" onde traçou um quadro global da economia mundial, sob o ponto de vista da globalização e da digitalização.