Tribunal da Relação absolve Coelho da pena de prisão

Patrícia Gaspar

José Manuel Coelho já não vai cumprir um ano e meio de prisão domiciliária. O dirigente do PTP-Madeira foi absolvido da pena pelo Tribunal da Relação no processo movido pela juíza Joana Pereira Dias, em que era acusado de 'difamação', e viu os valores da indemnização serem diminuídos.

A decisão da Relação foi conhecida ontem, avançou ao JM Raquel Coelho. A deputada considera que se “fez justiça parcialmente”, uma vez que se mantém a decisão de pagamento de uma multa e de uma indemnização embora com valores mais baixos do que o inicialmente definido.

“É uma excelente notícia, tendo em conta tudo aquilo por que passamos”, constata Raquel Coelho.

José Manuel Coelho foi julgado na Instância Central da Comarca da Madeira pelos crimes de difamação e fotografias ilícitas da juíza Joana Dias. Foi condenado a um ano e seis meses de prisão domiciliária e condenado a pagar 20 mil euros de indeminização, mas recorreu da decisão.

Na origem deste processo, estiveram críticas e publicações feitas pelo arguido que puseram em causa “a parcialidade” e a “honra” da assistente Joana Dias.