TAP garante que quantidade de combustível dos aviões é superior aos “parâmetros internacionais”

A TAP garantiu hoje ter cumprido todos os procedimentos de segurança no voo TP1692 que partiu esta tarde da Madeira, com destino a Lisboa, e necessitou de divergir para o aeroporto de Faro para abastecer. Acrescentou que a quantidade de combustível dos aviões é superior aos “parâmetros internacionais”.

“O aeroporto de Lisboa está a operar em condições de baixa visibilidade, devido a nuvens baixas”, começou por esclarecer a companhia.

Acrescentou que na sequência das condições atmosféricas adversas vários voos já divergiram para o Porto e para Faro, entre os quais o voo TP1692 desta tarde, que partiu da Madeira e fez cerca de 15 minutos de sobrevoo sobre Lisboa, aguardando autorização para aterrar.

Garante ainda que o Comandante do voo cumpriu todos os procedimentos de segurança: “Não sendo possível prever quanto tempo mais de espera seria necessário, devido às condições climatéricas, o Comandante do voo, no cumprimento de todos os procedimentos de segurança, decidiu divergir o voo para Faro, onde o avião reabasteceu e de onde partirá de novo para Lisboa”.

Questionada sobre a quantidade de combustível com que cada avião é abastecido, a TAP respondeu que cumpre todos os parâmetros internacionais e vai até para além deles.

“O combustível é sempre o necessário e suficiente para fazer sobrevoo em espera, sempre que é preciso e, se tal se justificar, divergir para um aeroporto alternativo, em total segurança e com margem”, conclui.