Vice-presidência acusa PS de usar vigarices com o novo hospital

Carla Ribeiro

A Vice-presidência do Governo Regional afirma que o Partido Socialista da Madeira, usando o artificialismo das contas públicas do Governo da República para enganar o povo madeirense, está a comparar o incomparável e a levantar suspeições infundadas sobre o valor da comparticipação do novo hospital, "evidenciadoras do desconhecimento da matéria sobre a qual tentou divagar intencionalmente".

Numa nota divulgada, a Vice-presidência liderada por Pedro Calado acrescenta que bem pode o PS-Madeira "insistir nestas vigarices, que isso não altera as condições reais de uma matéria bem conhecida da opinião pública".

Assim, esclarece a Vice-presidência do Governo Regional que:

- O projeto global do Hospital Central tem um custo total de 350 558 257,00 euros, correspondendo a:

1) Estudo de projetos e consultadoria técnica, no valor global de 6 888 042,00 euros;

2) Expropriações e terrenos, no valor de 26 326 403,00 euros;

3) Construção, no valor de 251 198 000,00 euros;

4) Assessoria à fiscalização da obra, no valor de 6 145 842,00 euros;

5) Equipamento médico hospitalar, no valor de 60 000 000,00 euros.

- Dos 350 milhões de euros de custo global do projeto, o Governo da República financia apenas 96 481 723,00 euros. A este valor é ainda deduzido o custo do IVA, que é pago pela Região ao Estado Português, no valor de 50 milhões.

- Por outro lado, o Governo Regional da Madeira está a suportar, através do Orçamento Regional, sem qualquer comparticipação Nacional, os valores das Expropriações e dos Estudos e Projetos da Obra, nos montantes de 26,3 Milhões de euros e 6,8 Milhões de euros, respetivamente.