Madeira aposta nas novas tecnologias para esbater desvantagens estruturais da região

Lusa

O presidente do Governo Regional da Madeira disse hoje, na Ribeira Brava, zona oeste da ilha, que o investimento das empresas nas novas tecnologias constitui uma forma de "esbater as desvantagens estruturais" da região e entrar no mercado internacional.

"O mundo está a mudar muito rapidamente e para encarar esta mudança temos duas hipóteses: ou fechamo-nos sobre nós próprios e entramos num sistema de regressão, ou enfrentamos essa mudança e procurarmos estar na vanguarda nos processos de inovação", afirmou Miguel Albuquerque.

O chefe do executivo falava na inauguração de um polo da Startup Madeira, uma incubadora de empresas na área das novas tecnologias e serviços, que disponibiliza a partir de hoje 16 espaços para novos projetos na vila da Ribeira Brava.

"Na Madeira, através das novas tecnologias, temos a facilidade de poder esbater aquilo que eram as nossas desvantagens estruturais, enquanto ilha ultraperiférica, porque nada inibe uma empresa dessa área de trabalhar no mercado mundial", vincou Miguel Albuquerque.

O novo polo da Startup Madeira constitui, por outro lado, a concretização de mais uma valência do projeto regional designado Brava Valley, que visa estabelecer um núcleo de empresas de base tecnológica na vila da Ribeira Brava, situada a cerca de 20 quilómetros do Funchal.

"Aqueles que pensavam que quando anunciámos este projeto estávamos a fazer propaganda, estão muito enganados", disse Miguel Albuquerque, sublinhando que o executivo vai avançar "muito rapidamente" com a "reconversão total" daquela vila num grande centro de dinamização tecnológica e de empreendedorismo.

O presidente do Governo Regional vincou, ainda, que o objetivo primordial do executivo é o de inserir a Madeira na economia do século XXI "sem complexos".