Contratempo entre dois aviões deu-se no ar e não na pista do Aeroporto da Madeira

Susy Lobato

Afinal, o contratempo ocorrido ontem no aeroporto da Madeira, que obrigou um avião da TAP a 'abortar' a aterragem, deu-se no ar e não na pista.

Ao contrário de notícias que davam conta da inesperada existência de um avião particular imobillizado na pista, a verdade é que essa aeronave já havia descolado.

Contudo, segundo apurou o JM, a aerovave particular "não estava, aparentemente, a cumprir uma instrução que lhe fora fornecida pelos serviços de controlo de tráfego aéreo, o que, no limite, poderia vir a consubstanciar uma perda da separação mínima entre aeronaves nos termos regulamentados".

A explicação é dada ao nosso jornal pela NAV Portugal, que adianta que o objetivo daquela instrução foi "a garantia da segurança operacional".

Leia mais pormenores na nossa edição impressa de amanhã.