JM – Edição Impressa: TAP sem “vergonha” – Desporto: Luta pelo regional de ralis de volta

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP, reafirmou ontem, na Assembleia da República, que “as tarifas atuais são mais baixas, em média, do que antes da privatização e que a ANAC não vai definir as condições com que as aeronaves da companhia vão voar na Madeira. “Não tenho vergonha do que a gente faz”, disse acrescentando não haver obrigação de serviço público para com a Região. Miguel Albuquerque não desarma: “se for para haver guerra, vai haver”.

Este é o assunto em destaque na edição de hoje do JM, na qual pode ler também sobre a opinião de Luís Lima, da Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa, que ontem defendeu no salão do Governo Regional que taxar a especulação imobiliária vai afastar investidores.

Noutros temas, conheça um pouco daquilo que será a 12.ª Conferência Anual do Turismo, evento da Ordem dos Economistas que se realiza a 12 de outubro.

Saiba que ninguém apresentou queixa das obras no Funchal, e leia também a entrevista de António Vieira Monteiro, presidente do Santander, que garante um banco “comprometido com os madeirenses”.

Um jornal, duas capas. No desporto, a ‘guerra’ entre Alexandre Camacho, João Silva e Miguel Nunes merece relevo, mas há mais motivos de interesse noutros troféus no regresso do campeonato, hoje, em Câmara de Lobos.

Destaque também para a nova vida de Gaula. O Governo Regional passou a gestão do complexo desportivo para o Juventude de Gaula. A instituição aplaude a decisão e garante total motivação para corresponder à confiança do executivo e oferecer mais e melhor desporto para os jovens da freguesia.

No futebol, Charles é apontado à titularidade em Alvalade, o Marítimo fez história europeia há 25 anos, e um governante moçambicano visitou os nacionalistas.

Tudo isto e muito mais, na edição desta sexta-feira do seu JM.