Liliana Rodrigues acusa direita europeia de ignorar Regiões Ultraperiféricas

“Um ataque à sustentabilidade das regiões ultraperiféricas”. Assim definiu Liliana Rodrigues a intenção do Partido Popular Europeu (PPE) em cortar o financiamento das RUP no âmbito do programa de Cooperação Territorial Europeia (Interreg).

No relatório sobre a proposta de regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho, que estabelece disposições específicas ao objectivo de Cooperação Territorial Europeia, os eurodeputados do PPE apresentaram uma proposta que preconiza a redução de 3,2% para 2,2% na componente afecta à cooperação das RUP.

Liliana Rodrigues mostrou-se surpreendida com a “falta de sensibilidade da direita europeia para com as especificidades e as dificuldades das regiões ultraperiféricas de toda a União, incluindo a Madeira e os Açores”. A eurodeputada afirmou que não esperava “testemunhar um ataque à sustentabilidade das regiões ultraperiféricas, tanto no programa do Interreg, como através do Mecanismo Interligar a Europa”.

No relatório sobre o Mecanismo Interligar a Europa, “os eurodeputados de direita apagaram todas as referências às regiões ultraperiféricas, substituindo-as por regiões fronteiriças”, referiu Liliana Rodrigues, acrescentando que esta acção pode levar a que as RUP sejam “inelegíveis ao financiamento” deste programa. “Estão, simplesmente, a fazer ‘delete’ das RUP”.

A eurodeputada madeirense afirmou que o grupo socialista, na Comissão do Desenvolvimento Regional, já se encontra a introduzir alterações ao documento, com a firme intenção de reverter as duas propostas, evitando assim a potencial redução da capacidade de financiamento por parte das RUP.

O programa de Cooperação Territorial Europeia (Interreg) tem como objetivo a cooperação territorial. Já o Mecanismo Interligar a Europa procura financiar projectos que complementem as lacunas nas áreas do digital, dos transportes e da energia na Europa.