Educadores insatisfeitos com discrepância de horários dentro da Educação

Carla Ribeiro

O Sindicato dos Professores da Madeira está na Escola EB1/PE com Creche da Nazaré para assinalar o arranque de mais um ano letivo. No local, os sindicalistas aproveitam para abordar algumas questões que preocupam o setor.

Francisco Oliveira destaca a redução dos recursos humanos no pré-escolar, lembrando que, ao contrário daquilo que acontecia até então, a partir deste ano cada sala só tem um educador. De acordo com o responsável, só haverão dois educadores numa sala de aula quando um dos professores tiver 60 ou mais anos.

Do seu ponto de vista, dessa forma os educadores acabam por ficar cansados por estar tantas horas a fio com os alunos à sua única responsabilidade.

Ana Alves, sindicalista, lamenta ainda que os intervalos letivos não sejam iguais ao dos outros professores, criticando assim a discrepância de horários dentro da Educação.