Políticas da infância e Juventude contaram com 39 milhões de euros do Governo Regional

Paula Abreu

A Secretaria Regional da Inclusão e Assuntos Sociais atribuiu, no ano passado, às políticas no âmbito da infância e da juventude, 39 milhões de euros. O montante foi divulgado esta tarde por Rubina Leal na conferência de abertura do Mês da Prevenção dos Maus Tratos, que teve lugar na Câmara Municipal do Funchal.

A governante explicou que o orçamento em causa destinou-se ao trabalho junto das instituições ligadas à infância e juventude, como as comissões de proteção de crianças e jovens, «às quais temos uma verba de cerca de 140 mil euros que distribuímos pelas 11 CPCJ da Região, aos programas de prevenção dos maus tratos e apoios a estas faixas etárias, para além da instituição na tutela do Governo, o Estabelecimento Vila Mar, que recebe mais de um milhão de euros por ano. Em traços gerais, são desenvolvidas várias políticas efetivas e não pontuais por parte do executivo regional, frisou a secretária regional.

Depois de enaltecer o papel das 11 comissões de proteção de crianças e jovens da Madeira, como a do Funchal, que faz parte da organização do mês em causa, a secretária regional lembrou que houve uma diminuição de 251 processos a entrarem nestes organismos. «Contudo, os números que ainda existem são elevados», com cerca de 1.900 casos no final de 2016, reconheceu.

Madalena Nunes, vereadora com o pelouro social da CMF, destacou as várias iniciativas que serão desenvolvidas ao longo deste mês por forma a assinalar a Prevenção dos Maus Tratos a crianças e jovens, naquele que será o terceiro ano consecutivo com ações promovidas pela autarquia, em colaboração com a CPCJ do Funchal, para sensibilizar para a problemática. Assim, o Funchal alia-se à iniciativa nacional “Laço Azul”, que visa alertar para os maus tratos contra crianças e jovens. Este ano com o slogan “Dá voz ao que sentes! Constrói afetos”, durante este mês o edifício da autarquia terá um grande laço azul exposto para chamar a atenção para os direitos das crianças, para além da iluminação noturna ser também nesse tom.

O comércio foi também chamado à campanha de sensibilização, já que alguns estabelecimentos comerciais do centro do Funchal terão também cartazes e laços azuis. No dia 28 de abril, será realizada uma marcha com a presença de várias crianças, «de muito tenra idade», e jovens de escolas profissionais, «que terá um grande impacto na cidade».

Madalena Nunes divulgou ainda que estão a ser apoiadas pelos programas sociais e de promoção da família da autarquia, cerca de duas mil famílias.