Cabaço defende presença reforçada da cultura na animação turística

Iolanda Chaves

A secretária regional do Turismo e Cultura defendeu esta noite a participação reforçada da cultura, onde se incluem o folclore e a etnografia, na animação turística da Região.

Paula Cabaço esteve presença na abertura da Semana Europeia do Folclore, evento que assinalou o arranque da Festa do Vinho Madeira 2018.

Sobre o cartaz deste ano, a governante disse que foi "renovado" e "enriquecido na sua ligação à cultura e, sobretudo, reforçado na sua animação de rua".

Será de esperar uma presença mais "dignificada e valorizada das Associações e Agentes Culturais que desenvolvem as suas iniciativas em prol da preservação dos usos, costumes e tradições que caracterizam a nossa identidade, nesta Festa", sublinhou.

"A afirmação do destino Madeira passará, cada vez mais, pela exaltação das suas diferenças, da sua autenticidade e do que nos distingue dos demais, objetivos que se concretizam, precisamente, quando associamos a nossa oferta turística ao património cultural, nas suas mais variadas vertentes", defendeu, enaltecendo a importância da integração do folclore e dos aspetos etnográficos nos diferentes eventos que fazem parte do Calendário Anual de animação turística

Paula Cabaço felicitou o trabalho do Grupo Folclórico da Boa Nova, pelo seu empenho em relação ao folclore e dedicação a favor da cultura popular e pela qualidade do programa de mais esta Semana Europeia.

"Estamos todos de parabéns e é de louvar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por este Grupo, assim como pelas diversas Associações e Grupos de Folclore que, na Região, mantêm vivas as nossas tradições, assim como asseguram a sua transmissão às novas gerações", declarou.

A secretária regional está convencida de que a edição deste ano da Festa do Vinho Madeira "marcará a diferença".

Estão previstas, ao longo de duas semanas (e para além dos quadros vivos e das atuações dos grupos folclóricos), 27 horas de programação cultural e de animação turística, com 13 atuações musicais, nove atuações teatrais e três espetáculos de danças seculares, que decorrerão em monumentos classificados do Funchal.

Será "um programa aberto à participação de todos, gratuito, de grande diversidade artística e de conteúdos que, no fundo, associa toda a nossa riqueza e dinâmica cultural a um produto emblemático da Madeira, o vinho, também ele um produto de celebração», concluiu Paula Cabaço.