Greve ao trabalho suplementar de estivadores no Porto do Caniçal está nos 100%

Carla Ribeiro

A adesão à greve nacional de quatro semanas ao trabalho suplementar, por parte dos estivadores, está, neste primeiro dia, nos 100 por cento.

A garantia é de Marco Vieira, delegado sindical do Sindicato dos Estivadores da Atividade Logística. Refira-se que esta greve espoletou com um desentendimento verificado há duas semanas em retaliação pela jornada de luta contra as práticas antissindicais nos portos de Leixões e Caniçal. Os patrões, segundo Marco Vieira, decidiram rasgar o acordo que tinha sido alcançado no Porto de Lisboa. Na altura, o sindicato deixou claro que os seus associados não aceitariam as condições de assédio reiterado verificadas em vários portos do país, com particular gravidade em Leixões e no Caniçal. Marco Vieira diz que há atropelos aos direitos dos estivadores e perseguição sindical. A greve ao trabalho suplementar vai prosseguir até 10 de setembro.