JM - Edição impressa: Combate eficaz aos incêndios - Desporto: Benfica passa da euforia à apreensão

“Combate eficaz” é a manchete deste sábado do JM, que dá conta do trabalho de 48 operacionais de sete corporações de bombeiros que, apoiados pelo helicóptero, responderam prontamente a um incêndio que assustou populares entre o Vale Paraíso, na Camacha, e o Palheiro Ferreiro. Pedro Ramos, secretário regional da Saúde, enaltece a eficácia do dispositivo montado. Filipe Sousa, presidente da Câmara Municipal da Santa Cruz, critica o Governo Regional pela ausência de legislação para a limpeza dos terrenos, um assunto para ler ao pormenor entre as páginas 4 e 8;

Já a companhia espanhola Binter indigna tudo e todos. A Região quer apurar os termos de uma concessão que revoltou cerca de 40 passageiros que ficaram 25 horas à espera da viagem. Esta semana foram canceladas dez ligações, dizem as páginas 18 e 19;

Quem garante que não faz “vida de turistas” é a Força Aérea, para ler na página 9;

Referência para o ‘ART’Camacha’ que oferece hoje noite de teatro, diz a página 28;

Destaque para a Festa da Espada que arranca com ‘casa cheia’, lê-se na página 29;

Um jornal, duas capas. No desporto o Benfica passou da euforia à apreensão. Três golos de Pizzi, em pouco menos de 40 minutos, pareciam conduzir o Benfica à goleada. Mas o Guimarães ainda foi a tempo de reduzir para 3-2 e deixou os milhares de adeptos encarnados à beira de um ataque de nervos. Hoje, às 21h00, é a vez do FC Porto receber o Chaves do ez-maritimista Daniel Ramos, informa a página 39;

Conheça também, na página 38 desta edição impressa, as vantagens de ser sócio do Marítimo ou Nacional;

Quanto à Ribeira Brava e Caniçal revelam, na página 34, os objetivos na Honra;

E as campeãs nacionais de andebol feminino, do Madeira SAD, ‘prometem’ sucessos, é outro dos destaques de hoje;

E o que promete o União é lutar “contra tudo e todos”, lê-se na página 35;

Já o Marítimo B quer continuar a formar jogadores, refere a página 35.

Não perca hoje o seu jornal madeirense, já nas bancas.