JPP lamenta demissão de três elementos na 'Aldeia da Paz'

JM

O Juntos pelo Povo (JPP) lamentou hoje, em comunicado, a notícia avançada pelo JM que dava conta da demissão de três elementos da Fundação Lar Nossa Senhora da Paz, mais conhecida por “Aldeia da Paz”. No seu entender, esta situação “lesa os utentes desta instituição e os funcionários que, diariamente, lutam para que as coisas funcionem”.

O Juntos pelo Povo (JPP) lamentou ontem, em comunicado, a demissão de três elementos da Fundação Lar Nossa Senhora da Paz, mais conhecida por “Aldeia da Paz”, referindo que esta situação “lesa os utentes desta instituição e os funcionários que, diariamente, lutam para que as coisas funcionem”. Num comunicado enviado à imprensa, o partido lembra que esta foi uma situação que tentou levar à Assembleia Legislativa da Madeira, logo após as declarações trazidas a público, em dezembro de 2017, tendo pedido uma audição parlamentar à Presidente do Instituto de Segurança Social da Madeira, exatamente para esclarecer a situação”.

Contudo, refere o JPP, este pedido de audição, apenas discutido e votado em março de 2018, foi chumbado pela maioria PSD que demonstrou “desinteresse total”.

O partido entende ainda que esta é uma situação que merecia esclarecimentos e discussão por parte de quem assume responsabilidades governativas.

“Relembre-se que as IPSSs são instituições de extrema importância para o trabalho social desenvolvido na Região, nas suas várias valências e que, o ISSM,IP-RAM tem competências de acompanhamento e fiscalização que, nesta situação não se verificaram”, pode ler-se na nota.

“É inadmissivel que se continuem a verificar situações menos “claras” que poderão colocar em causa o bem-estar dos utentes que, por circunstâncias várias, já se encontram em situação de grande vulnerabilidade”, disse.

“A governação das instituições públicas que recebem dinheiros públicos tem de ser pautada pelos princípios da honestidade e da transparência”, reforça o JPP.