A partir de segunda-feira será proibido estacionar na estrada regional entre a Ribeira Brava e Campanário

Lúcia M. Silva

A Polícia de Segurança Pública (PSP) já deixou o aviso, por escrito, aos condutores: a partir da próxima segunda-feira, dia 30 de julho, será proibido estacionar na antiga Estrada Regional 101, entre a Ribeira Brava e o Campanário. A ação tem como objetivo facilitar o escoamento do tráfego da Via Rápida que vai estar fechada na segunda-feira.

A notícia, avançada hoje pela RTP-Madeira, informa que o trânsito vai ser desviado para a Rua Comandante Camacho de Freitas (antiga Estrada Regional 101) a partir do centro ou da Rua de S. Pedro, e que os utentes podem retomar a VR1, na direção do Funchal, no nó 2 (Campanário).

Para evitar os grandes congestionamentos registados no início desta semana na antiga Estrada Regional 101, a PSP está a proceder à colocação de avisos em todas as viaturas estacionadas no percurso entre a Ribeira Brava e o Campanário.

No aviso colocado pela polícia pode ler-se que não é “permitido o estacionamento de quaisquer viaturas nesse trajeto, a não ser em locais devidamente sinalizados para o efeito.”

Recorde-se que, na passada segunda-feira, o fecho da via rápida entre os nós do Campanário e da Ribeira Brava provocou um autêntico caos na circulação automóvel. O encerramento, anunciado atempadamente pela VIALITORAL, inclusivamente com recurso a editais publicados na comunicação social, mereceu duras críticas dos automobilistas e residentes no local, como reportou, o JM, no local.

Houve mesmo quem temesse o pior, pois em caso de acidente ou de doença súbita entendiam não haver escapatória possível para a passagem de uma ambulância em serviço de urgência.
O trânsito caótico motivou reparos diversos, essencialmente dirigidos à aparente apatia da PSP, cujos elementos, não obstante terem sido ‘avistados’ em duas zonas da estrada
regional entre o Campanário e a Ribeira Brava, nada conseguiram fazer para atenuar o drama dos automobilistas.

O estacionamento de viaturas na estrada, como habitualmente acontece na referida localidade, também não foi corrigido em tempo oportuno, gerando ainda mais obstáculos em torno de uma situação que já se previa que fosse complicada…
Foram filas, algumas de quilómetros, que resultaram em queixas e buzinadelas constantes. Uma espécie de teste à paciência de centenas de automobilistas, como atestou o JM.