PSD aponta “incompetência” e “trapalhada” no embargo da CMF à Ponte Nova

Os vereadores do PSD apontaram hoje a "incompetência" e a "leviandade" da Câmara Municipal do Funchal (CMF) no embargo à Ponte Nova, que já dura há um ano e meio.

"Depois de um embargo que trouxe prejuízos para os comerciantes locais, para os moradores e para a população em geral, vem agora esta autarquia apresentar como alternativa um projeto igual àquele que estava a ser executado. Isto só revela a incompetência e a leviandade deste município", disse Rubina Leal à margem da Reunião de Câmara que decorreu esta tarde.

Uma postura que a vereadora social-democrata considera lamentável e que tem impactos negativos na vida da Cidade. "Continuamos com uma das principais artérias do Funchal com apenas uma via. Continuamos com um estaleiro naquele arruamento, e a zona pedonal está a degradar-se devido ao elevado número de pessoas que por ali circulam".

Rubina Leal aponta outras "trapalhadas" do município, como foi o caso recente do abate das árvores na Rua do Bom Jesus. "Mais uma vez faz-se o abate de árvores sem pareceres nem estudos técnicos. Isto é uma trapalhada que nós não podemos aceitar e cabe à autarquia assumir as suas responsabilidades e explicar porque se abatem árvores saudáveis", sublinhou, criticando o comunicado emitido pela CMF.

Esta autarquia, diz Rubina Leal, tenta justificar o injustificável. "Aquela rua não ganhará 18 novas árvores. Aquela rua perdeu. Perdeu árvores saudáveis. Perdeu árvores que faziam parte da identidade de uma das ruas mais emblemáticas do concelho, situada no coração da cidade."