Bastonário da Ordem dos Engenheiros: "Temos cometido grandes erros" em políticas de ordenamento territorial

Decorre neste momento, no auditório do Museu da Eletricidade da Madeira, a conferência intitulada 'O Papel da Engenharia na Adaptação às Alteraçoes Climáticas', um evento que está a ser acompanhado pelo JM.

A primeira intervenção esteve a cargo do Bastonário da Ordem dos Engenheiros, Carlos Mineiro, que sublinhou que é necessário um despertar coletivo para a temática das alterações climáticas, salientando que este é um problema irreversível.

Sublinhou também a importância dos engenheiros na mitigação dos poluentes e adaptação dos territórios para as alterações climáticas, evocando as metas do Acordo de Paris.

Carlos Mineiro referiu ainda que Portugal é responsável por 0,1% das emissões globais de gases que provocam efeito estufa, acrescentando que há países que estão mais atrasados nesta matéria, ressaltando que, no entanto, a atuação deve ser global.

Relativamente ao caso da Região Autóma da Madeira, admitiu que as alterações climáticas têm alguma relação com as catástrofes, apesar de haver acontecimentos que são periódicos, mas que o homem pode ajudar a mitigar.

O bastonário salientou que "temos cometido grandes erros" nas políticas de ordenamento territorial, tanto na Região, como no continente, havendo oportunidades para melhorá-los.

Por último, ressaltou que este é um evento que a Ordem dos Engenheiros pretende promover em todas as Regiões do país, com o objetivo de elaborar um código de boas práticas, sobre esta temática, para todas as áreas de atividade humana.

No que toca aos desafios que ainda existem, destacou a gestão dos recursos hídricos, a descarbonização e a passagem de uma economia linear para uma circular.

Tomando a palavra, a secretária regional do Ambiente, Susana Prada, salientou os impactos que as alterações climáticas tiveram na Região Autónoma da Madeira, destacantando os trabalhos desenvolvidos pelo Governo Regional no aumento das energias renováveis em 30 a 40%, na criação da agenda regional para a Economia Circular e no desenvolvimento da Estratégia de Adaptação às Alterações Climáticas da Região Autónoma da Madeira.