CDS acusa Governo de manipular estatísticas de desemprego

O CDS divulgou hoje um comunicado para referir que tinha razão em confrontar o Executivo sobre a anunciada colocação de 24.190 pessoas no mercado de trabalho, entre 2015 e 2018.

Os números foram questionados pelo partido, que estranhou que a Região continue “com a maior taxa de desemprego do país, com 17.217 desempregados”, segundo dados oficiais do Instituto de Emprego da Região Autónoma da Madeira.

A justificação dada pelo Governo Regional, através de Secretaria Regional da Inclusão e dos Assuntos Sociais, de acordo com o CDS, é de que o valor anunciado de colocações (24.190) “considera as integrações registadas no período, independentemente da duração do contrato. Logo, não se contam as pessoas, mas sim as colocações”.

Assim, de acordo com este método estatístico do Governo Regional, “as pessoas não contam, o que conta é a mesma pessoa ser colocada todos os meses”, aponta o CDS, que acrescenta que, ao afinal de um ano, o GR consegue contabilizar 12 “pessoas colocadas no mercado de trabalho”, ainda que as 12 vezes corresponda sempre à mesma pessoa.

“O CDS recusa-se a brincar com a vida e o emprego das pessoas, a manipular números e estatísticas para títulos de jornais a letras gordas, e, desse ponto de vista, o CDS agradece o Governo Regional pelo seu comunicado ter vindo a público dar-nos razão”, conclui o comunicado do partido.