Carnes processadas são cancerígenas e devem ser evitadas

Sofia Lacerda

“A carne vermelha e as carnes processadas são dois tipos de alimentos considerados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como provavelmente cancerígenos e cancerígenos”, defendeu, esta tarde, a nutricionista Magda Roma.

A opinião mereceu a concordância do professor universitário José Câmara, outro dos convidados pelo Núcleo Regional da Madeira da Liga Portuguesa Contra o Cancro para defender o tema ‘Tenha uma dieta saudável’, hoje, no Colégio dos Jesuítas.

A nutricionista Magda Roma, que tem vários livros editados, entre eles ‘A Dieta Anticancro’, realçou que as linhas orientadoras da OMS, de 2015 a 2020, “dizem para nós optarmos por uma alimentação de base vegetal, especialmente pela Dieta Mediterrânica, a verdadeira, e pela dieta vegetariana”.

Nesse sentido, a especialista em nutrição defendeu a importância de “aumentar o consumo de base vegetal” e evitar repetir a proteína animal ao almoço e ao jantar.

Alertou ainda que, “quem quiser consumir peixe, deve ter em atenção que este deve ser de pequeno porte, para estar menos tempo exposto aos metais pesados, tal como o mercúrio, e evitar as carnes ao máximo”.

De igual forma, o professor da Universidade da Madeira, José Câmara, apontou que o cancro é um problema de saúde global e que as estimativas indicam que o número de casos de cancro a nível mundial vá aumentar 50%, de 14 milhões de pessoas doentes para 21, entre 2012 e 2030.

Igualmente preocupante foi outro dado, que prevê um aumento de 60% no número de mortes por esta doença, passando de oito milhões para 13.

Nesse sentido, o docente apresentou uma lista de alimentos “que são úteis no combate ao cancro”, como frutas e vegetais.