Sara Madruga da Costa participa em Seminário sobre migrações

JM

A deputada Sara Madruga da Costa participou como oradora no seminário "Fronteiras, Segurança, Migrações que lugar para os direitos fundamentais" organizado pela Associação de Estudos Europeus da Faculdade de Direito de Coimbra.

Coube à deputada Sara Madruga da Costa e a Pedro Valente da Silva, representante do Parlamento Europeu em Portugal o encerramento de um dos painéis temáticos.

O seminário foi transmitido online aos alunos da escola secundária Francisco Franco no Funchal e a alunos de diversas escolas e universidades no Brasil e contou com a participação de vários especialistas na matéria.

A deputada abordou a problemática do ponto de vista europeu e nacional, revelando os mais recentes dados do relatório de avaliação da política portuguesa de acolhimento de pessoas refugiadas recolocadas apresentado na Assembleia da República no final de 2017 e que dão conta de que Portugal é o sexto país da União Europeia com maior número de refugiados acolhidos no âmbito do Programa de Recolocação.

Até ao dia 29 de novembro de 2017 e após o termo formal do Programa a 26 de setembro chegaram a Portugal, 1.520 cidadãos recolocados, 1.190 provenientes da Grécia e 330 de Itália. Destes, 261 são agregados familiares e 533 são menores. No que concerne à sua origem, destacam-se os recolocados sírios (833), iraquianos (338) e eritreus (311). Destes, cerca de 51% destas pessoas já abandonaram o nosso país.

Para a deputada madeirense "as migrações constituem um dos maiores, se não o maior desafio ao nível dos direitos humanos desde a segunda guerra mundial. A Europa e o país não podem ficar indiferentes a esta problemática, todos os dias em todo o mundo, milhares de pessoas tomam a decisão mais difícil das suas vidas: deixar as suas casas em busca de uma vida melhor."