Março com taxa de desemprego "mais baixa dos últimos sete anos"

Carla Ribeiro

O grupo parlamentar do PSD na Assembleia Legislativa da Madeira e no âmbito das jornadas temáticas 'Melhor Economia e mais Emprego', defendeu hoje que o mês de março registou a taxa de desemprego mais baixa dos últimos sete anos.

Isto graças à estratégia do Governo Regional, conforme sublinhou José Prada. Desde o início do ano, "mais de 800 pessoas iniciaram programas de Emprego promovidos pelo Instituto de Emprego da Madeira (IEM) que já representam 40% das contratações registadas na Região", disse o deputado social-democrata no final de uma visita à empresa Dobsware - Mobile Apps & Games e ao Polo de Emprego da Nazaré.

"O sucesso existe porque há uma estratégia de apoio do Governo que tem funcionado nesta área, uma estratégia virada para as pessoas, para as empresas e para quem mais precisa", disse José Prada, exemplificando com os pólos de emprego e com a Dobsware - Mobile Apps & Games que nasceu na incubadora do CEIM (actualmente StarupMadeira) e cresceu pela mão do Programa de Estímulo ao Empreendedorismo para Desempregados.

"A Dobsware apresentou soluções na área das novas tecnologias que têm sido reconhecidas internacionalmente", acrescentou, sublinhando que este caso evidencia a "existência de mecanismos" facilitadores da criação de projetos inovadores para empreendedores e jovens desempregados.

José Prada falou também sobre a importância do papel orientador dos 26 polos de emprego existentes na Região. "Os polos de emprego oferecem formação, preparam as pessoas e facilitam a entrada no mundo do trabalho. É um espaço que funciona de forma descentralizada, facilitando a vida a quem precisa de respostas, sem ser preciso se deslocar ao IEM", disse o deputado, constatando que em 2017, as ações e sessões de trabalho destinadas a desempregados contaram com mais de 3.500 participantes.

"A estratégia do Governo tem resultado e os números não deixam margem para dúvidas", sublinhou José Prada, lembrando que se em 2015 a taxa de desemprego na Região era de 15,8 e hoje ronda os 9%, e que se há três anos, havia estagnação no investimento público e privado, atualmente todos os setores económicos estão em crescimento.