Menos mil matrículas no próximo ano letivo

JM

O próximo ano letivo (2018/2019) arrancaré com, aproximadamente, menos mil matrículas.

Um reflexo da baixa taxa de natalidade na Região que acaba, no entanto, por ser benéfico para os alunos na hora de escolherem a escola que querem frequentar, uma vez que a oferta tende a manter-se superior à procura.

É que, ao contrário do que continua a acontecer no território nacional e que levou o Ministério da Educação a publicar ontem, em Diário da República, as regras relativas às matrículas já no próximo ano letivo, a regulamentação regional, que vem sendo aplicada com as alterações introduzidas em 2016, assenta no princípio do respeito pela liberdade de escolha, por parte dos encarregados de educação e dos alunos, do estabelecimento de ensino que desejam frequentar.

Leia esta notícia na íntegra na edição impressa de hoje do JM.