Igualdade de género foi tema de conferência levada hoje à CMF

Lúcia M. Silva

Isabel Lousada foi a oradora convidada pela Câmara Municipal do Funchal para a conferência “Mulheres e Igualdade – portas travessas, tectos de vidro?”, que esta manhã teve lugar na sala da assembleia municipal, a cargo do Departamento de Educação e Qualidade de Vida da Autarquia. Tendo por base a Constituição da República Portuguesa, que passou a distinguir, a partir de 1976, o Direito à Igualdade (no artigo 13º), o debate centrou-se essencialmente nos direitos das mulheres e nas conquistas (em alguns casos ainda que pequenas) que foram acontecendo ao longo destes anos.

À margem da conferência, a investigadora e escritora referiu que o tema para este encontro foi proposto por si e tem um certo teor “provocatório” porque, “tudo o que diz respeito às minorias, às mulheres e à igualdade, não há uma correspondência direta entre aquilo que é a capacitação e a projeção, a visibilidade e os lugares ocupados”.

“Ao longo dos tempos o que podemos verificar é uma panóplia de interpretações que vêm reforçar ou tentar contrariar esta visão da sociedade em que, composta por homens e mulheres, nem todos e nem todas, estarão com a vocação desejada, nem com os caminhos abertos para que isso se possa realizar”, realçou a investigadora.

Refira-se que Isabel Lousada tem-se dedicado sobretudo aos estudos sobre as mulheres, mais concretamente, na investigação do período de transição da Monarquia para a República. Como investigadora, professora e escritora, tem ainda vindo a colaborar, a nível nacional e internacional, com várias instituições, entre as quais a Federação de Mulheres Empresárias e Profissionais de Portugal, a Associação Portuguesa de Mulheres Cientistas, o Movimento Democrático de Mulheres e a Asociación Española de Investigación de Historia de las Mujeres.