Câmara de Santa Cruz livre do plano de Saneamento Financeiro de 2008

Carla Ribeiro

A Câmara Municipal de Santa Cruz aprovou, hoje, a suspensão do Plano de Saneamento Financeiro de 2008, mais uma prova do sucesso das políticas financeiras implementadas desde que o JPP tomou posse em 2013.

Como o JM noticiou recentemente, a Autarquia entende que resolveu a situação de falência do Município pelo que está permitido o retorno à fase de investimento.

"A par com a solução do PAEL, e a substituição da dívida com o Estado por dívida comercial, esta suspensão é a prova cabal de que o caminho trilhado foi o mais correto e aquele que garantiu melhores resultados", considera Filipe Sousa.

Na sua habitual reunião semanal, a Câmara de Santa Cruz aprovou também a proposta de prestação de contas do Exercício Económico de 2017, tendo Filipe Sousa destacado que naquele ano, a autarquia "conseguiu o melhor e mais realista orçamento de sempre, tendo, ainda, conseguido antecipar prazos de pagamentos a fornecedores, ir ao mercado financeiro e substituir empréstimos por outros com condições mais vantajosas" Conforme adiantou o autarca, "o total do endividamento, “per capita”, tendo em conta o número de habitantes do concelho foi de 426 euros, menos de metade do que se registava em 2013". Além disso, o prazo médio de pagamento, que chegou a ser de 1049 dias, é agora de 9 dias.

Na reunião foi ainda aprovado um regulamento de apoio aos agricultores, com um teto máximo de 3 mil euros por agricultor.

.