Dicionário Enciclopédico da Madeira vai ter 10 volumes

Iolanda Chaves

O Governo Regional comprometeu-se hoje, mediante protocolo, a apoiar a publicação do Dicionário Enciclopédico da Madeira, uma obra que será composta por 10 volumes, com um total de 15 mil páginas e 40 milhões de carateres.

Mais de 500 investigadores estão a contribuir para esta obra arrojada que se inscreve nas comemorações dos 600 anos da descoberta do arquipélago da Madeira e tem já uma versão digital no site aprenderamadeira.net.

Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional, enalteceu este projeto que, segundo disse, extravasa a região e contribuirá para o aprofundamente e divulgação da história nacional.

O líder do executivo regional diz que a Região não deve sentir qualquer espécie de complexo mas, pelo contrário, ter consciência da sua universalidade e importância na política atlântica desde o primeiro momento em que foi descoberta.

De acordo com o protocolo celebrado entre o Governo Regional, a Cátedra Infante Dom Henrique para os Estudos Insulares Atlânticos e a Globalização da Universidade Aberta, representada pelo historiador José Eduardo Franco, e a Universidade Aberta, representada pelo respetivo pró-reitor, João Relvão Caetano, a Região contribuirá com 60 mil euros por ano durante seis anos. Os restantes 40 mil euros, que serão necessários para a edição de cada volume, deverão ser obtidos junto de privados.

José Eduardo Franco espera que o Dicionário Global, como lhe chama, seja uma obra de referência para o futuro e um verdadeiro marco nas comemorações dos 600 anos.

O pró-reitor da UAb considera-a "um projeto de grande significado" que prestigia a Universidade Aberta.