Associação de Promoção da Madeira deverá ter mais 700 mil euros para promoções excecionais

Carla Ribeiro

O conselho consultivo da Associação de Promoção da Madeira reuniu esta manhã, durante duas horas e 15 minutos, numa reunião ordinária, para analisar vários assuntos relacionados com o turismo da Madeira e futuras ações promocionais. Paulo Prada, presidente daquele órgão, referiu ao JM, que ficou acordado que haverá um orçamento retificativo de cerca de 700 mil euros para eventuais ações extraordinárias. Assunto que será levado à reunião de 6 de abril.

Aquele grupo de trabalho analisou dados de 2017 referentes ao turismo na Madeira e também os primeiros dados do corrente ano, sobretudo no que toca aos visitantes que entraram na Região pelo Aeroporto Internacional da Madeira -Cristiano Ronaldo. A propósito, Paulo Prada disse não querer usar o termo 'preocupação' relativamente à quebra de passageiros do Reino Unido, verificada em janeiro último. Ainda assim, explicou que a Região está atenta a esta situação. "Temos que perceber que pode haver um ajustamento, digamos assim, do mercado inglês e alemão. Mas não são questões nossas. São coisas relacionadas com fatores externos. O mercado alemão, por exemplo, pode ter a ver com a falência de uma companhia. Mas, não tendo uma bola de cristal, acredito que as coisas vão ajustar-se e espera-se que, até o final de 2018, se tenha um ano superior a 2017", afirma.

As perspetivas para o verão são desafiantes, conforme admite. Dependemos muito dos mercados inglês e alemão. Aparentemente, o Brexit não está a afetar. Mas "temos uma ou outra informação que as coisas para a Madeira estão mais ou menos iguais ao ano passado. Vamos esperar. As expetativas são desafiantes mas todos esperamos um ano tão bom como o de 2017", adianta ainda ao JM.