CDU lamenta falta de intervenção no Imaculado Coração de Maria

A CDU lamenta que, passados oito anos da aluvião, ainda existam vários sítios atingidos pela destruição que não tiveram direito a qualquer projeto, nenhum financiamento da Lei de Meios, nem nenhuma proteção chegou às populações.

Herlanda Amado deu como exemplo casos concretos na freguesia do Imaculado Coração de Maria, uma zona que aponta como sendo "mais uma das esquecidas pelo Governo Regional e pela Câmara Municipal do Funchal".

A comunista, que falava junto ao Ribeiro Chega, nesta freguesia, lembrou que "desde o primeiro momento que a CDU tem sido a força, que mais meios e verbas exigiu para a reconstrução das localidades afectadas pela catástrofe que se abateu sobre a Madeira", sendo que "o estrangulamento e desvio das linhas de água e a falta de limpeza dos ribeiros, foram alguns dos problemas identificados à data". Mas o que é certo, lamentam, "é que quem aqui reside, não se sente seguro e ao longo de outros ribeiros e linhas de água, a situação agravou-se pela falta de intervenção que era exigida e necessária".

Para a CDU, é importante e urgente que se concretize o esforço de reconstrução nas localidades verdadeiramente atingidas.

"É obrigação do Governo Regional e das Câmaras Municipais, garantirem todos os meios necessários para restabelecer a normalidade e garantir o bem-estar e a qualidade de vida das populações afectadas", sublinhou Herlanda Amado, garantindo que "a CDU continuará a envidar todos os esforços para que estas situações, passados oito anos, não sejam esquecidas, exigindo da parte das entidades competentes a sua urgente resolução".

"Enquanto existirem casos por resolver, podem contar com a nossa denuncia e revindicação, para a sua resolução", concluiu.