Cafôfo de "consciência tranquila" e disponível para "colaborar com a investigação"

Miguel Silva

Presidente da Câmara do Funchal emite comunicado onde confirma que foi constituído arguido e explica que o seu pensamento "está sempre com as vítimas"

A nota do presidente da Câmara do Funchal acaba de ser divulgada pela autarquia. "Confirmo a minha constituição como arguido no decurso do inquérito mandado instaurar na sequência da queda de uma árvore ocorrida no dia 15 de agosto de 2017, na freguesia do Monte", diz o comunicado.

Acrescenta que "nestas circunstâncias, comuns em processos desta natureza, colaborei sempre com a investigação, prestei todos os esclarecimentos e forneci ao processo todos os elementos para que se possa efetivamente apurar a eventual existência de responsabilidades. Continuarei absolutamente disponível para cooperar e colaborar com a investigação. Reforço que sempre cumpri para com todos os deveres que sobre mim impendem."

O presidente da Câmara revela ainda; "Estou de consciência tranquila em relação à minha atuação e ao meu dever para com a segurança dos funchalenses. O meu primeiro pensamento estará sempre com as vítimas deste acontecimento que ficará para sempre na minha memória."