Associações internacionais solidárias com manifestação em prol dos cães de Câmara de Lobos, diz organizador

Cláudia Ornelas

A um dia da manifestação que pretende apoiar os 50 cães retirados da moradia de Câmara de Lobos, são várias as associações nacionais e estrangeiras e também os particulares, que têm demonstrado suporte ao organizador do evento.

Defensor dos animais, Roberto Gaspar afirma ao JM já ter recebido mais de 700 mensagens de apoio. Entre estas, mensagens de associações da Alemanha, Inglaterra e Suíça, algumas dizem estar disponíveis para fornecer apoio financeiro.

“Não queremos dinheiro, só queremos retirar os 16 animais que estão alojados no armazém de Câmara de Lobos e dá-los para adoção”, refere Roberto Gaspar.

O organizador compreende a ordem do tribunal, mas diz que enquanto o processo não está terminado é necessário tomar medidas. Pede que os cães sejam devolvidos à 'Associação Ajuda Alimentar Cães' (AAAC) para que possam ser tratados e, com a colaboração dos particulares que suportam a causa, dados para adoção.

Quanto aos habitantes da residência que vivem em condições de insalubridade, Roberto Gaspar diz ser “inadmissível que os animais tenham sido retirados e que as pessoas permaneçam na moradia sem ajuda das entidades competentes”. Acrescenta ter conhecimento de que três elementos da AAAC estão a prestar apoio psicológico aos moradores. Esta associação afirmou, numa partilha feita na rede social 'Facebook', que uma das senhoras foi internada por tentativa de suicídio.

A organização já tem aprovações camarária e da PSP, para levar a cabo a manifestação 'Queremos justiça, junta-te a nós'.

Na rede social 'Facebook' mais de 200 utilizadores confirmaram a presença e mais de 1.000 demonstraram interesse em participar no protesto.

O evento está marcado para as 18 horas de amanhã e será realizado em frente ao Palácio da Justiça, no Funchal.