Ciência e tecnologia captam atenções no Mercado dos Lavradores

Iolanda Chaves

As bancas do peixe, no Mercado dos Lavradores, no Funchal, deram lugar ao Mercado da Ciência, esta quarta-feira, ao final da tarde, uma iniciativa integrada na Semana da Ciência e Tecnologia.

Investigadores e técnicos, de 24 entidades regionais, mostraram ao público em geral, parte do trabalho que desenvolvem no âmbito da investigação em ciência e tecnologia ou com a ajuda de equipamentos tecnologicamente avançados, de que é exemplo a Escola Superior de Enfermagem de S. José de Cluny (foto).
Visitantes de todas as idades deixaram-se contagiar pelos projetos científicos e atividades em exposição e percorreram as várias bancas, experimentando, degustando e fazendo perguntas, ficando assim a conhecer, um pouco melhor, o que a Região tem para oferecer nesta área.
A iniciativa foi promovida pela ARDITI – Agência Regional para o Desenvolvimento da Investigação, Tecnologia e Inovação e contou com a presença do secretário regional da Educação, Jorge Carvalho, que sublinhou o interesse do Governo Regional no apoio ao ensino e à investigação científica.
Segundo o governante, a verba inscrita no Orçamento Regional para 2018 neste âmbito é de 800 mil euros, semelhante à do ano passado.
Este montante, explica o presidente da ARDITI, Nuno Nunes, reverte para a ARDITI e M-iTi e uma parte é usada em co-financiamento de projetos de entidades capazes de atrair fundos para investigação.
“Com os 800 mil euros que o Governo coloca no orçamento, nós conseguimos captar oito milhões de euros, só no universo ARDITI e M-iTI. Há um retorno muito claro e com esta verba conseguimos colocar bolseiros de doutoramento, pós-doutoramento e de investigação. São mais mais de 200 pessoas que beneficiando destes fundos são capazes de ter uma ocupação qualificada e de se manterem na Madeira”, sublinha Nuno Nunes.