'Levada' precisa de obras e de mais pessoal não docente

Paula Abreu

A Escola Básica e Secundária Ângelo Augusto da Silva assinalou, esta tarde, o seu 39º aniversário.

Na cerimónia, no pavilhão da escola, que se encontrava cheio de alunos, professores e encarregados de educação, para além do secretário regional de Educação, o presidente do conselho executivo disse que, “prestes a entrar na ternura dos 40”, o estabelecimento de ensino carece de obras no edifício.

Aproveitando a presença de Jorge Carvalho, Armando Barreiro também sensibilizou para a necessidade de mais pessoal não docente.

Por outro lado, o responsável lembrou o percurso da 'Levada', ao longo destes 39 anos, tendo sido superados muitos desafios. Assegurando que os alunos estão “sempre em primeiro lugar”, o presidente do conselho diretivo da escola garantiu que “as nossas respostas serão sempre em função das necessidades que os alunos apresentarem”, de modo a que estes se sintam realizados no seu percurso escolar. “Somos uma escola de integração, de inclusão e de respostas aos anseios da nossa população estudantil”, disse ainda, lembrando a integração dos jovens alunos que chegaram da Venezuela.

Já Jorge Carvalho dirigiu as primeiras palavras para os alunos que seriam distinguidos na cerimónia de aniversário, num reconhecimento ao empenho e trabalho destes que se traduziram em sucesso. Os docentes e os encarregados de educação não foram esquecidos nesse percurso.

O governante reconheceu ainda que o conselho executivo da Escola Ângelo Augusto da Silva tem sabido traduzir da melhor forma as necessidades educativas e mostrado a sua disponibilidade para novos desafios.