Madeira quer que Governo inscreva verba para novo hospital no OE

O presidente do Governo Regional da Madeira afirmou hoje ser necessária “uma manifestação expressa de vontade política” do Executivo central para a construção do novo hospital da região, traduzida na inscrição da verba necessária no próximo Orçamento do Estado.

“O primeiro-ministro esteve aqui em março e disse que [a obra] era importante e ia cofinanciar” a construção do novo hospital da Madeira, recordou Miguel Albuquerque.

O governante madeirense falava à margem do Encontro Regional de Salvamento e Encarceramento da Região Autónoma da Madeira, que decorre no Serviço Regional de Proteção Civil do arquipélago.

Frisando que “não quer conversa!”, o responsável regional complementou que, nesta fase, precisa “é de uma manifestação expressa de vontade política consubstanciada em números, em ações concretas do Orçamento do Estado (OE)” para 2018.

“Preciso de ter um sinal concreto em sede no OE de que isso vai acontecer”, sublinhou, considerando que “não vale a pena estar a atirar para o lado” esta questão.

“Neste momento, temos todas as condições já para abrir o concurso internacional para a construção do novo hospital”, vincou Miguel Albuquerque.

Questionado sobre o facto de estar prevista uma visita do ministro da Saúde para visitar a área onde está projetada a construção da nova unidade hospitalar do Funchal, o chefe do executivo insular assegurou que “é sempre bem-vindo”.

“Mas, para mim não é solução. A solução é a inscrição no Orçamento das verbas necessárias à concretização dos compromissos assumidos perante os madeirenses”, realçou.

Miguel Albuquerque opinou que este assunto “tem a ver, em primeira instância, com compromissos do primeiro-ministro e do Governo central com o povo da Madeira”.

O projeto de construção do novo hospital da Madeira tem um custo estimado de 340 milhões de euros e o primeiro-ministro, António Costa, assumiu o compromisso de o Estado comparticipar em 50% o investimento da construção e equipamentos.

Na segunda-feira este foi um dos temas em cima da mesa na reunião que ocorreu, em Lisboa, entre o vice-presidente do Governo da Madeira, Pedro Calado, e o ministro das Finanças, Mário Centeno.

Esta semana, numa audição parlamentar em sede de discussão do Orçamento de Estado na especialidade, o ministro da Saúde, Adalberto Campo, anunciou uma visita à Madeira em dezembro.