Empresas da Macaronésia querem unir-se 

Susy Lobato

O projeto "Clustering" pretende unir as várias empresas da Macaronésia. O objetivo é relacionar as várias empresas para promoverem um trabalho conjunto no sentido de facilitar a internacionalização e inovação das pequenas e médias empresas.

A apresentação do projeto decorreu esta manhã na ACIF, tendo a sessão de abertura ficado a cargo de Guillermo Martín, responsável pelo departamento de Inovação do Instituto Tecnológico de Canárias, que salientou o potencial turístico das ilhas envolvidas. "Achamos que podemos relacionar, por exemplo, as atividades dos portos, trabalhando em linha através de uma espécie de booking, onde os clientes podem reservar à distância uma atividade náutica", disse, considerando uma lacuna a falta de uma ligação marítima entre as Canárias e a Madeira. "Isso seria fundamental para aumentar o transporte de carga e passageiros", disse.

Uma questão também referida por Elba Cabrera, gerente do 'Cluster' Marítimo das Ilhas Canárias, presente na apresentação do projeto. "Temos boas comunicações aéreas, mas temos de trabalhar a comunicação marítima", mencionou, considerando que "esse é um tema que os nossos governos têm de trabalhar e, também, estimular o setor empresarial com interesse nessa matéria".

Em relação ao projeto, explicou que acaba por ser "uma complementariedade ao setor do turismo", uma vez que objetivo é "criar cinergias entre as empresas das diversas ilhas".

"Há vários pontos de interesse entre as empresas de Canárias e as empresas da Madeira e temos de trabalhar quais são os setores de interesse. As universidades são setores que geram cinercias entre elas. Mas queremos trabalhar o setor náutico de recreio. É um setor com grande potencial de crescimento e que nos ligam de forma forte a todas as ilhas da Macaronésia", terminou Elba Cabrera, à margem da apresentação do projeto, um encontro que contou com vários representantes de empresas e de Câmaras de Comércio das várias Ilhas.