Jornadas Madeira: Ribeira Brava ambiciona hotel central

Bruna Nóbrega

Embora “muito” já tenha sido feito, Ricardo Nascimento reconhece que ainda falta um “longo caminho a percorrer”. Nesse sentido, falou na ambição de o município voltar a ter um hotel central.

Além disso, o autarca, que falava nas Jornadas Madeira, disse que falta também mais restaurantes com qualidade, mão de obra qualificada em algumas áreas, serviços públicos e privados. “Mas isto não depende apenas da autarquia. Depende do interesse e da vontade dos empresários e das entidades governamentais”, exaltou.

No que concerne à agricultura, Ricardo Nascimento notou que existem dois tipos económicos: a subsistência, que serve de complemento na economia familiar; e outro mais estruturado e empresarial com contributos na criação de emprego.

“Nestas atividades tem sido patente o papel das juntas de freguesia e da Câmara na recuperação de levadas, mas também no trabalho da Secretaria Regional de Agricultura ao nível do acompanhamento, bem como no proporcionar de apoios, permitindo a recuperação de terrenos, de paredes, bem como na melhoria da produção”, sustentou.

A este propósito, o edil assegurou que o concelho está recetivo em acolher projetos, independentemente da área de intervenção, que façam crescer o município e promovam serviços de qualidade.

“Vamos continuar a criar investimento e a proporcionar melhores condições de vida a quem vive, a quem trabalha e quem visita a Ribeira Brava”, rematou.