PCP: Programas de emprego "não podem camuflar verdadeiros números do desemprego"

Paula Abreu

No regresso aos trabalhos parlamentares, após o intervalo, Ricardo Lume, do PCP, defende a proposta de projeto de resolução "Combate ao uso abusivo de programas de ocupação de desempregados e estágios profissionais com o fim de substituição de postos de trabalho permanentes".

O comunista entende que os programas servem para "uma nova escravidão dos tempos modernos", por serem utilizados várias vezes pelas entidades públicas ou associações privadas sem fins lucrativos", e para substituir postos de trabalho em vez de criar emprego efetivo.

Ressalvando que não é contra os programas em causa, Ricardo Lume não concorda com a utilização abusiva dos mesmos, recorrendo a desempregados para receber 438 euros por mês, sem direitos laborais, como férias ou subsídios de natal e ferias.

Referindo que são 5.800 desempregados abrangidos pelos programas de emprego, Ricardo Lume sustentou que "não podemos deixar que os programas de ocupação de desempregados e estágios profissionais sejam apenas mais uma forma de exploração e de camuflar os verdadeiros números do desemprego".