Pedro Coelho quer que seja o Município a gerir a baía de Câmara de Lobos

Susy Lobato

O apoio aos pescadores é uma das prioridades do (re)eleito presidente de Câmara de Lobos. Empossado esta tarde, Pedro Coelho, prometeu colocar os munícipes em primeiro lugar e, entre as várias áreas de intervenção, revelou especial atenção aos pescadores e aos agricultores.

No primeiro caso, o autarca prometeu requalificar a baía de Câmara de Lobos, tendo em vista a revitalização integrada do cais e do varadouro, mesmo sendo um trabalho de competência da Secretaria Regional da Agricultura e Pescas, conforme salientou. Nesse sentido, adiantou que é sua intenção “retomar as negociações com a tutela tendo em vista a transferência da gestão daquela área para a esfera municipal”.

Dirigido aos agricultores, Pedro Coelho pretende criar parcerias com várias entidades com vista à concretização de projetos agrícolas. O objetivo, salientou, é “melhorar o impacto paisagístico e também apoiar as famílias” que vivem da agricultura.

O edil prometeu ainda estar atento às famílias mais vulneráveis do concelho, reforçando o apoio social.

Apostar no mar, por considerá-lo um ponto estratégico para o desenvolvimento do concelho, bem como captar novos investimentos turísticos foram outras prioridades apontadas pelo empossado presidente de Câmara que hoje tomou posse, bem como os restantes novos órgãos autárquicos, quer para a Câmara, quer para a Assembleia Municipal e para as juntas de freguesia.

A propósito de investimentos, Pedro Coelho aproveitou a presença do ainda secretário regional das Finanças para lançar largos elogios e agradecimentos pelo seu empenho que possibilitou, nos últimos anos, a concretização de vários investimentos neste concelho.

Apesar da presença de Rui Gonçalves na sessão de tomada de posse, que decorreu no Museu de Imprensa, quem esteve em representação do Governo foi a secretária regional do Ambiente, Susana Prada.

Manuel Freitas, que volta a presidir à Mesa da Assembleia Municipal, salientou a importância de perspetivar o futuro e de estar atento às novas realidades.